10 filmes espaciais para celebrar a fundação da NASA

ANÚNCIO

Em 29 de julho de 1958, o Presidente Eisenhower assinou o documento que criou a NASA. A agência abriu suas portas em 1º de outubro daquele ano e foi uma dádiva para Hollywood, fornecendo muita inspiração para filmes baseados em história, ficção científica e aventura.

Alguns, como “Os Eleitos”, “Contato” e “Perdido em Marte” foram adaptados dos livros, enquanto outros, como “Armageddon” e “Cowboys do Espaço”, eram pura aventura de verão, com muita pipoca.

ANÚNCIO

Embora Hollywood tenha feito muitos filmes sobre o espaço, aqui estão 10 que envolvem a NASA, para saudar a agência espacial.

Apollo 13

(Créditos: Cortesia da Universal Pictures)

O filme de Ron Howard, de 1996, estrelado por Tom Hanks, Bill Paxton, Kevin Bacon e Ed Harris, prestou homenagem à missão lunar fracassada.

Um dos momentos mais tristes é quando Hanks, como o comandante Jim Lovell, observa a cena e, infelizmente, diz ao resto da equipe: “Senhores, acabamos de perder a lua”.

ANÚNCIO

O filme deu à cultura pop uma de suas falas mais populares, também de Hanks: “Houston, temos um problema”.

Armageddon

Bruce Willis lidera um grupo de desajustados, para explodir um asteróide que está a caminho de atingir a Terra.

A NASA contrata perfuradores que, além de Willis, incluem Ben Affleck como o homem que namora a filha de Willis, com Owen Wilson, Michael Clarke Duncan, Will Patton e Steve Buscemi.

Michael Bay dirigiu esse thriller aventureiro, que oferece muita diversão, enquanto ainda pede uma suspensão da descrença.

Contato

Jodie Foster lidera essa busca por alienígenas no filme de Robert Zemeckis, de 1997, que é um aceno para o SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence).

Baseado no romance de Carl Sagan, o drama nos leva a planetas estrangeiros, mas a visão que os alienígenas mostram à Ellie, (interpretada por Foster) é alterada, para que ela possa entender o que está vendo.

Uma das melhores frases é dita pelo pai de Ellie e ela repete: “Eu diria que se somos apenas nós… parece um terrível desperdício de espaço”.

O Primeiro Homem

(Créditos: DANIEL MCFADDEN)

Neil Armstrong, o primeiro homem a andar na lua, recebe destaque em tela grande, no drama de Damien Chazelle em 2018, sobre o homem quieto e seu tormento interior pela filha que perdeu.

Ryan Gosling protagoniza o personagem central, com Claire Foy como sua esposa, mas o membro do elenco com mais brilho é Corey Stoll, como um impetuoso Buzz Aldrin.

Embora os detalhes do pouso na lua sejam conhecidos por muitos, para a multidão mais jovem que não estava por perto para ver as imagens granuladas na TV, o filme é uma revelação.

Gravidade

(Créditos: Cortesia da Warner Bros)

Alfonso Cuarón ganhou o Oscar de direção por “Gravidade” em 2013, que recebeu 10 indicações e sete vitórias.

Sandra Bullock e George Clooney estrelaram a história de uma astronauta abandonado (Bullock), que quer voltar para casa.

Entre as melhores cenas, estão quando o personagem de Clooney incentiva Bullock, desanimada a se recompor, quando pensa que está sozinha. “Ei Ryan? Está na hora de ir para casa.”

(Créditos: Cortesia da 20th Century Fox)

As heroínas desconhecidas que ajudaram no programa espacial da América finalmente vencem o drama de 2016 em Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughan (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monae) com Kirsten Dunst, em um esplêndido papel de destaque para essas mulheres negras de mentes brilhantes da matemática.

A cena em que Spencer corre entre prédios para chegar ao banheiro com os papéis, mantém a platéia com os nervos a flor da pele.

(Créditos: MELINDA SUE GORDON)

Christopher Nolan dirigiu um filme sobre exploradores espaciais chamado “Interestelar”, no qual o ex-piloto da NASA, Joseph Cooper (Matthew McConaughey), sai para o espaço para encontrar outro mundo viável para as pessoas, já que a Terra está ameaçada por tempestades de poeira, e a única colheita sendo cultivada é milho.

Em uma instalação da NASA, o ex-chefe de Cooper está trabalhando em alguns planos para encontrar esses outros planetas, e ele envia Cooper nessa missão.

Jessica Chastain é a filha adulta de McConaughey e cientista da NASA. Preste atenção na participação de Matt Damon.

Perdido em Marte

Adaptado do romance de ficção científica de Andy Weir, “Perdido em Marte”, gira em torno de um astronauta que é acidentalmente deixado para trás por seus colegas, e a tentativa da NASA de trazê-lo de volta à Terra.

Estrelando uma série de grandes nomes – Matt Damon, Jessica Chastain, Kristen Wiig, Jeff Daniels, Sean Bean, Daniel Glover – este drama, dirigido por Ridley Scott, possui trilha sonora de músicas divertidas, como “Starman” a “I Will Survive” e “Hot Stuff”.

O Globo de Ouro o nomeou melhor filme em 2015.

Os Eleitos

Phillip Kaufman não se intimidou com o épico livro de Tom Wolfe, detalhando o desenvolvimento do programa de vôo espacial dos EUA, contrastando o mundo temerário dos pilotos experimentais e os engenheiros mais comprometidos recrutados como astronautas.

Ambos julgaram alto risco, mas abordaram o perigo de maneiras muito diferentes, enquanto o filme se concentra no piloto Chuck Yeager, a primeira pessoa a voar mais rápido que a velocidade do som.

Cena de destaque: Yeager, interpretado por Sam Shepard, tenta quebrar um recorde de altitude, mas seu avião congela, ele ejeta e seu pára-quedas não abre. Corta para o chão do deserto, onde vemos dois médicos correndo em direção aos restos de fumaça do avião, enquanto um homem emerge das ondas de calor, queimado, mas com arrogância. “Isso é um homem?” alguém pergunta. “Sim, você está certo”, o outro sorri.

Geezers resgatam o drama de Clint Eastwood, de 2000, sobre um engenheiro aposentado que usa seus colegas ex-pilotos de teste, para reparar um satélite soviético em falha.

O elenco de estrelas inclui Eastwood, James Garner, Donald Sutherland, Tommy Lee Jones e James Cromwell como gerente da NASA que os traz de volta da aposentadoria, com Marcia Gay Harden como o azarado funcionário da NASA encarregado deles.

A cena final com Garner é ao mesmo tempo delicada e tocante.

Traduzido e adaptado por equipe O Mapa da Mina.

Fonte: Variety

ANÚNCIO