7 dos produtos mais estranhos que as pessoas compraram durante a pandemia

ANÚNCIO

Não há dúvida de que a pandemia do coronavírus mudou drasticamente nossos hábitos de consumo. Com mais tempo gasto em casa, não é surpreendente que as contas de eletricidade e alimentos tenham subido.

Com negócios não essenciais forçados a fechar, muitos de nós investimos em produtos, desde máquinas de cortar cabelo a equipamentos de ginástica, a fim de manter um senso de rotina.

ANÚNCIO
7 dos produtos mais estranhos que as pessoas compraram durante a pandemia
(Créditos: Getty Images)

Mas nem todas as tendências de gastos pandêmicos foram tão óbvias. Graças a uma combinação de tédio e medo, os americanos estão comprando alguns itens surpreendentes.

Dê uma olhada em sete produtos inesperados que tiveram aumento nas vendas desde o início da quarentena.

1. Patins

Com as ordens de bloqueio em vigor em todo o país, os americanos inquietos têm procurado novos hobbies para ocupar seu tempo, e desculpas para sair de casa. Para muitos, o patins acabou sendo a solução perfeita.

ANÚNCIO

As pesquisas no Google por “patins” aumentaram consideravelmente em maio, e os varejistas de repente tiveram dificuldade em acompanhar a demanda, relatou o The Washington Post.

A Moxi Roller Skates, com sede na Califórnia, teve vendas 12 vezes maiores do que o normal e desenvolveu uma enorme carteira de pedidos, levando seu fabricante a abrir uma segunda fábrica para atender a todos, de acordo com a fundadora Michelle Steilen.

Os patins em tom pastel da Impala Rollerskates esgotaram no mesmo dia em que foram lançados durante a quarentena, disse o presidente-executivo Matt Hill ao Post.

Como os patins se tornaram quase impossíveis de encontrar em estoque, muitos consumidores se voltaram para os mercados de segunda mão.

O mercado online Mercari, por exemplo, viu uma média de mais de 21.000 buscas por patins por semana nas últimas seis semanas – um aumento de 892% no volume desde a pandemia – com mais de 300 novos anúncios de patins adicionados semanalmente.

2. Veículos recreativos

À medida que a pandemia se agravava no verão, os americanos viciados em viajar estavam desesperados por uma maneira de fazer turismo, mantendo o distanciamento social.

Os veículos recreativos têm vendido loucamente. Na verdade, os revendedores de VR viram um aumento de 170% nas vendas no mês de maio em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com a RV Industry Association.

Os viajantes que não têm dinheiro para comprar não deixam que isso os impeça.

O aluguel de trailers também aumentou. A locadora de veículos recreativos RVshare relatou um aumento de 1.000% nas reservas em todo o país desde 1º de abril.

3. Armas

Gastos pandêmicos não foram só diversão e jogos. O número de verificações de antecedentes de armas de fogo compiladas pelo FBI aumentou no início de março e atingiu um recorde de 3,9 milhões em junho. Existem algumas razões para este grande interesse na posse de armas.

É normal que as vendas de armas aumentem na época das eleições. E, considerando que o esperançoso democrata Joe Biden apoia maiores restrições às armas de fogo, alguns oponentes do controle de armas podem querer estocar poder de fogo enquanto ainda podem.

Sem contar com a agitação civil em todo o país e uma sensação geral de medo, pois o coronavírus permanece incontido.

4. Fermento

Para aqueles que fazem o possível para evitar espaços públicos movimentados, o supermercado é um dos melhores lugares para se evitar.

Mas os serviços de entrega de mantimentos podem ser caros, e enviar um funcionário para fazer o trabalho sujo pode parecer antiético.

É uma das razões pelas quais tantos americanos começaram a fazer pão durante a pandemia.

As vendas de ingredientes de panificação em geral dispararam, mas o fermento seco tem sido especialmente difícil de encontrar.

As vendas de fermento tiveram alta de 647% no final de março, em comparação com a mesma semana do ano passado, segundo a Nielsen.

Na verdade, o fermento teve o crescimento de vendas mais rápido em um período de sete dias, do que qualquer outro produto de mercearia rastreado pela Nielsen.

5. Bidês

Em muitas casas fora dos EUA, um bidê no banheiro é comum. Mas para os americanos, os bidês estão encontrando uma nova popularidade após a escassez de papel higiênico que marcou o início da pandemia.

As pesquisas do Google por bidês dispararam em meados de março, enquanto as empresas que vendem bidês experimentaram um boom.

Jason Ojalvo, CEO da Tushy, disse ao Yahoo em abril que as vendas foram 10 vezes maiores do que antes da pandemia.

6. Calça de moletom

Todo vestido sem ter para onde ir? Se você tem trabalhado em casa, evitando bares e shows e, geralmente, relaxa pela casa o dia todo, não há necessidade de sair e comprar roupas novas.

Não surpreendentemente, as vendas de roupas nos EUA caíram 79% em abril. Calças de moletom, por outro lado, estão tendo seu melhor momento.

As compras aumentaram 80% em relação ao mesmo período do ano anterior, de acordo com o The New York Times.

Sem dúvida, muitas dessas compras de roupas confortáveis ​​foram objeto de projetos de tie-dye igualmente modernos.

7. Velas perfumadas

Se depois de meses dentro de casa sua residência está começando a cheirar mal, você não é o único em busca de produtos com cheiro bom.

As vendas de velas dispararam durante a pandemia. O Net-a-Porter, por exemplo, relatou um aumento de 130% em meados de março.

Traduzido e adaptado por equipe O Mapa da Mina.

Fonte: HuffPost, The Washington Post, Nielsen e The New York Times

ANÚNCIO