Doença cardíaca pode ser vista em seu rosto com novo algoritmo

ANÚNCIO

Um novo algoritmo baseado em imagens, usa inteligência artificial (IA) para analisar as fotos faciais de uma pessoa e detectar a possibilidade de uma doença cardíaca.

Consultas iniciais e check-ups podem ser simplificados para pacientes com doenças cardíacas, porque a IA pode fornecer uma avaliação preliminar para determinar a próxima etapa.

ANÚNCIO

Um grupo de pesquisadores chineses descobriu uma maneira de criar um algoritmo de aprendizado profundo, com o objetivo de analisar a fotografia facial de uma pessoa e detectar se há sinais de progressão de doença cardíaca.

A Sociedade Europeia de Cardiologia publicou recentemente um comunicado à imprensa, que elabora mais sobre o trabalho dos pesquisadores chineses para determinar as doenças cardíacas.

Selfies agora podem ser usadas como um meio para uma análise simples e barata, de uma possível doença do coração humano.

ANÚNCIO
Doença cardíaca pode ser vista em seu rosto com novo algoritmo
Foto: (reprodução/internet)

A ferramenta de triagem desenvolvida para doenças cardíacas requer quatro fotografias de um paciente para análise e avaliações iniciais. Isso minimiza a necessidade de dar outros passos para conhecer uma doença ou enfermidade por dentro.

“Nosso objetivo final é desenvolver um aplicativo auto-relatado para comunidades de alto risco, para avaliar o perigo de doenças cardíacas antes de visitar uma clínica.” disse o professor Zhe Zhang, pesquisador-chefe da AI, vice-diretor do Centro Nacional de Doenças Cardiovasculares e vice-presidente do Hospital Fuwai, Academia Chinesa de Ciências Médicas, Pequim.

Os pesquisadores observam que o algoritmo está atualmente em estágio de desenvolvimento, com atualizações e testes precisando ser feitos para grupos maiores de diferentes etnias.

Desenvolvimento do Algoritmo ‘Selfie’

Os cientistas tiraram proveito de fatores específicos, que relacionam as características faciais a sinais e indicações de que uma pessoa está passando por uma doença no coração.

Os sintomas que eles estão observando incluem cabelos grisalhos ou ralos, rugas, prega do lóbulo da orelha, xantelasmata (pequenos depósitos amarelos de colesterol que são mostrados sob a pele geralmente encontrados nas pálpebras) e arcus córnea (depósitos de gordura e colesterol que aparecem anéis opacos brancos, acinzentados ou azuis nas bordas externas da córnea de uma pessoa).

O estudo foi conceituado em 2017, onde cientistas reuniram 5.796 pacientes de oito hospitais da China divididos em Treinamento (5.216 pacientes ou 90%) e Validação (580 pacientes ou 10%).

Seus dados demográficos e registros de saúde também foram obtidos para o processamento de dados do algoritmo, imagens de angiografia de raios-X dos pacientes e até mesmo as quatro fotos que as enfermeiras tiraram para referência.

O professor Xiang-Yang Ji afirmou que os registros dos pacientes não contribuíram para o desempenho do algoritmo, dizendo que as fotos eram suficientes.

O algoritmo superou os métodos de detecção de doenças cardíacas atualmente usados, como o modelo Diamond-Forrester e o escore clínico do consórcio CAD.

Os pesquisadores foram capazes de detectar 80% das doenças cardíacas com precisão com o grupo de controle de validação, e 61% entre aqueles sem condições presentes.

Algoritmo ‘Selfie’ para CAD

O algoritmo é focado principalmente na detecção de doença arterial coronariana ou DAC, a forma mais comum de doença cardíaca conhecida pelo homem.

O CAD é atualmente a principal causa de morte entre cidadãos americanos, tanto em homens quanto em mulheres.

Esta doença resulta do endurecimento das artérias que impedem a circulação do sangue de fluir para o músculo cardíaco e para o resto do corpo.

O acúmulo de colesterol e placa bacteriana causa principalmente esta doença dentro das artérias, e interrompe o fluxo correto de sangue de dentro para fora.

DAC é uma doença que pode enfraquecer o músculo cardíaco e até mesmo causar sua falha.

Traduzido e adaptado por equipe O Mapa da Mina.

Fonte: Tech Times

ANÚNCIO