Pesquisadores revelam o melhor exercício para estimular cérebro

ANÚNCIO

Pesquisadores da University of South Australia em Adelaide conduziram vários experimentos envolvendo 128 pessoas, cujos cérebros foram monitorados após uma única sessão de exercícios aeróbicos em uma bicicleta ergométrica e esteira.

Os experimentos variaram de exercícios contínuos de baixa intensidade a exercícios com intervalo e de alta intensidade, com a freqüência cardíaca variando entre 50 a 90 por cento da intensidade.

ANÚNCIO

A pesquisadora da UniSA, Dra. Ashleigh Smith, e seu aluno de doutorado, Maddison Mellow, descobriram que as maiores mudanças na neuroplasticidade – a capacidade do cérebro de religar ou modificar suas conexões neurais – ocorreram com 20 minutos de treinamento intercalado ou 25 minutos de exercício aeróbio moderado contínuo.

A Dra. Smith disse que pedalar ou correr a toda velocidade sem misturar o ritmo pode elevar o hormônio do estresse, o cortisol, bloqueando os efeitos positivos.

“Já sabemos que praticar exercícios aeróbicos regulares é bom para o cérebro, melhorando a memória, a atenção e o aprendizado”, disse ela.

ANÚNCIO
Pesquisadores revelam o melhor exercício para estimular cérebro
Foto: (reprodução/internet)

“No entanto, precisamos entender por que é tão benéfico e qual é o melhor exercício, intensidade e duração.” acrescentou Dra. Smith.

De acordo com a pesquisa, o cortisol parece desempenhar um papel importante no fato de um exercício ser mentalmente benéfico.

Isso acontece porque os níveis elevados de cortisol bloqueiam as respostas neuroplásticas, mas o treinamento intervalado pode permitir um ponto ideal para que as taxas de cortisol voltem aos níveis normais, dizem os pesquisadores.

“O que torna o cérebro especial é que, ao contrário de um computador, ele processa sinais sensoriais e motores em paralelo”, disse Smith.

“Ele tem muitas vias neurais que podem replicar a função de outra pessoa, de modo que, se o cérebro for danificado, ele pode redirecionar os sinais por uma via diferente. Quanto mais elástico o cérebro, mais fácil é.”

Mellow disse que a neuroplasticidade impulsionou o desenvolvimento do cérebro, desde a infância até a idade adulta, ajudando a aprender novas habilidades, formar memórias e se recuperar de lesões cerebrais ou derrames.

“Estudos de longo prazo demonstram que pessoas que praticam exercícios regulares apresentam maior conectividade neural do que aquelas que são sedentárias. A pesquisa também mostra que se exercitar antes de aprender uma nova habilidade motora pode ajudar uma pessoa a aprender muito mais rápido”, disse ela.

As descobertas dos pesquisadores foram publicadas no Journal of Science and Medicine in Sport.

A história foi republicada de The Lead South Australia sob uma licença Creative Commons. Leia a história original.

Traduzido e adaptado por equipe O Mapa da Mina.

Fonte: Coach Nine

ANÚNCIO