Rússia libera filmagem da maior explosão nuclear do mundo

ANÚNCIO

A Rússia divulgou imagens, mostrando a maior explosão nuclear que o mundo já viu.

Foto: (ROSATOM)

Um vídeo de 40 minutos de material previamente classificado, foi lançado este mês pela divisão nuclear estatal do país, ROSATOM.

ANÚNCIO

O nome do dispositivo devastador era Bomba do Czar, e foi detonado em 30 de outubro de 1961 na costa da Ilha Severny, perto do Oceano Ártico.

Uma bomba de hidrogênio com 50 megatons – ou 50 milhões de toneladas – de explosivo convencional, era 3.333 vezes mais poderosa do que a bomba que foi lançada em Hiroshima, no Japão.

Também foi muito mais destrutiva do que a maior bomba de hidrogênio que os Estados Unidos já haviam lançado em 1954, quando detonou um dispositivo de 15 megatons.

ANÚNCIO

A filmagem chocante foi lançada em 20 de agosto para coincidir com o 75º aniversário da indústria nuclear da Rússia, com uma grande parte do vídeo retratando a jornada do país ao topo da árvore nuclear.

A arma em si era enorme, pesando massivas 27 toneladas e cerca de oito metros de comprimento. Para que pudesse ser derrubado, alguns dos tanques de combustível tiveram que ser removidos do bombardeiro soviético Tu-95V para acomodá-lo.

Foto: (ROSATOM)

Foi detonado a cerca de 4.000 metros acima do solo.

A explosão foi tão poderosa que o bombardeiro foi atingido pela onda de choque, apesar de estar a 75 milhas de distância do ponto de detonação, com a própria explosão visível a incríveis 620 milhas de distância.

Para colocá-lo em contexto, a nuvem em forma de cogumelo se estendeu por 42 milhas no ar, tornando-se cerca de sete vezes mais alto do que o Monte Everest, e relatos afirmam que ela destruiu edifícios a 55 km dele.

Também foi descoberto mais tarde que a Bomba do Czar poderia, potencialmente, ter sido ainda mais poderosa do que era, já que foi originalmente projetada para lançar uma explosão colossal de 100 megatoneladas, mas foi reduzida para proteger a população em geral da explosão.

E não foi a única…

Esta também não foi a única detonação poderosa que a Rússia realizou durante esse tempo.

Ao longo do início da década de 1960, a União Soviética completou vários outros testes com forças variando entre 20 e 24 megatons.

A Bomba do Czar, no entanto, foi um dos últimos testes nucleares aéreos já realizados, já que os EUA, o Reino Unido e a União Soviética assinaram o Tratado de Proibição Parcial de Testes em 1963, que afirmava que todos os testes futuros deveriam ser realizados no subsolo .

Traduzido e adaptado por equipe O Mapa da Mina.

Fonte: LAD Bible

ANÚNCIO