Fundador do Telegram, Pavel Durov, diz que eles nunca forçarão usuários a assistir 30 segundos de anúncio

Seguindo os ajustes da política de privacidade da WhatsApp, as empresas rivais, Signal e Telegram, observaram um enorme aumento na demanda com mais usuários se inscrevendo para os aplicativos de mensagens depois de criticar as mudanças da WhatsApp.

Fundador do Telegram, Pavel Durov, diz que eles nunca forçarão usuários a assistir 30 segundos de anúncio
Foto: (Nadine Rupp/ Getty)

Fundador do Telegram assegura aos usuários

Com a demanda e a atenção que ambas as empresas estão recebendo, o fundador do Telegram, Pavel Durov, garantiu a seus usuários que eles nunca irão rentabilizar dados privados e forçar os usuários a assistir a anúncios de 30 segundos.

“Nunca forçaremos você a assistir a anúncios de 30 segundos no Telegram. Se alguma vez introduzirmos anúncios, os anúncios serão exibidos apenas em grandes canais de um para muitos, que são caros de executar devido aos custos de servidor e tráfego (como meu canal @durov) e não serão direcionados com base em nenhum dado privado (ao contrário do Facebook)”, disse Durov, conforme o LiveMint.

Durov garantiu ainda que o Telegram não coletará dados privados e não fará perfis de usuários, pois não há necessidade disso.

Isto se aplica a todo e qualquer usuário do Telegram que não esteja usando os canais únicos do aplicativo e que, em vez disso, esteja usando comunicações privadas peer-to-peer.

Falando em Signal

Além do Telegram, a Signal, uma empresa rival que também está vendo um aumento na demanda após a mudança do WhatsApp, também tranquilizou seus usuários: não haverá anúncios no aplicativo, portanto não haverá coleta de dados privados e perfis de usuários envolvidos.

Fundador do Telegram, Pavel Durov, diz que eles nunca forçarão usuários a assistir 30 segundos de anúncio
Foto: (reprodução/internet)

Falando em Signal, Durov também se deu ao luxo de falar sobre seu rival.

“O Signal representa uma característica do Telegram, que são as conversas secretas. Se você acha que precisa de um aplicativo separado apenas para esse recurso, instalá-lo pode fazer sentido para você”, disse Durov sobre seu rival.

Ele também disse que pessoalmente achou os Chats Secretos “mais utilizáveis e seguros”.

A tranquilidade do Telegram e do Signal são importantes para seus novos usuários em meio às mudanças do WhatsApp, por isso muitos podem achar estas promessas atraentes.

Veja também: Elon Musk promete doar mais fundos para aplicativo Signal após fiasco de ações na semana passada

De Milhões para Bilhões?

No entanto, os especialistas têm dúvidas, especialmente sobre como estes aplicativos de mensagens irão rentabilizar no futuro e, em última instância, como eles lidariam com a privacidade dos usuários, especialmente se eles começarem a ganhar um grande número de seguidores como o WhatsApp – mas isso não significa que eles sejam extremamente impopulares.

De acordo com a revista on-line, o Telegram tem atualmente cerca de 500 milhões de usuários, enquanto o Signal tem mais de 10 milhões de usuários, mas o que ainda não está claro é o número de usuários ativos mensalmente.

Fundador do Telegram, Pavel Durov, diz que eles nunca forçarão usuários a assistir 30 segundos de anúncio
Foto: (reprodução/internet)

Não será surpreendente ver o Signal alcançar mais pessoas, especialmente com o endosso de Elon Musk, fundador e CEO da Tesla e SpaceX, e o homem mais rico do mundo até o momento.

Enquanto isso, o WhatsApp tem mais de dois bilhões de usuários, de acordo com o Strait Times, portanto, enquanto o Telegram é popular, o aplicativo de mensagens do Facebook ainda está à frente de seus concorrentes, mas com a maneira como as coisas estão indo, o número pode diminuir significativamente.

Para aqueles que não estão cientes do problema, a WhatsApp atualizou recentemente sua política de privacidade.

Basicamente, a empresa está pedindo a seus usuários que permitam que o aplicativo acesse suas informações do Facebook Messenger, e se não o fizerem antes de 8 de fevereiro, a conta WhatsApp será encerrada.

Além disso, a empresa também estará lançando publicidade e comércio eletrônico na plataforma.

Traduzido e adaptado por equipe O Mapa da Mina.

Fonte: Tech Times, LiveMint e Strait Times