Conheça algumas dicas para evitar as compras por impulso

Fazer compras gera um bem-estar quase que instantâneo em algumas pessoas. Por isso esse tipo de ação pode ser feita por impulso, de maneira impensada sem pesar as consequências financeiras o que pode acarretar problemas futuros. 

Por isso é muito importante se atentar a este comportamento para que isso não gere problemas como culpa, prejuízos, arrependimentos e insatisfações. Muitas pessoas acabam descontando suas frustrações do dia a dia em compras sem planejamento. 

Existem algumas dicas que podem ser implementadas nas vidas daquelas pessoas que tem problemas com compulsão na hora de comprar. É necessário compreender o porque de certa compra e pesar se é realmente necessário para sua vida. 

Fonte: reprodução/internet

Se você reconheceu sentimentos como arrependimentos e culpa depois de realizar uma compra, continue a leitura e confira as dicas para não se envolver em compras desnecessárias, aprenda como conter seu impulso e economizar dinheiro

Quais são os efeitos terapêuticos das compras

Ao adquirir algum produto ou bem o cérebro ativa o que chamamos de “sistema de recompensas”. Ele é ativado quando a pessoa atinge as metas estabelecidas, ao ser ativado ele libera dopamina e a serotonina, gerando sensações de felicidade e prazer. 

O problema é quando o ato de fazer compras se torna uma bengala emocional, ou uma válvula de escape, onde a pessoa passa a consumir para se sentir melhor. Contudo, o bem-estar gerado é  muitas vezes temporário e pode ser seguido por outras sensações. 

Estas outras sensações podem não ser tão agradáveis, como culpa e arrependimento pelo gasto desnecessário. Muitas vezes essa compulsão leva pessoas a adquirirem grandes dívidas que se tornam mais pressão sobre as pessoas. 

Oniomania – Compulsão por compras

A compulsão por compras é conhecida por ‘oniomania’, é considerado um transtorno comportamental, chega a atingir 3% da população mundial. E se caracteriza basicamente com o gasto impulsivo em coisas supérfluas para suprir alguma carência. 

A oniomania pode atingir uma pessoa e ainda acarretar outros transtornos como o transtorno obsessivo compulsivo (TOC), bipolaridade, compulsões de colecionismo, depressão e ansiedade.

Sinais de alerta

Existem alguns sinais que a pessoa deixa passar quando é acometida pelo transtorno de compulsão por compras, segue uma lista com os comportamentos aos quais é bom ficar de olho:

  • Comprar sem pensar previamente;
  • Comprar itens repetidos e desnecessários;
  • O pensamento de fazer compras aparece recorrentemente na mente, de maneira intrusiva;
  • Descontar frustrações e tristezas nas compras;
  • Perda de controle sobre as finanças, cartões de crédito e cheques; 
  • Pegar empréstimos para cobrir dívidas de compras;
  • Comprar para obter alívio do ato compulsivo; 
  • A compulsão gera sofrimento mas a pessoa não consegue parar;
  • Esconder as compras da família com medo de sofrer represálias.
Fonte: reprodução/internet

Estes são apenas alguns dos comportamentos que devem estar sob alerta. A oniomania é uma doença séria que gera compulsão e necessita de tratamento para conter os danos na vida das pessoas.

Diagnóstico e tratamento

Para obter um diagnóstico de oniomania a pessoa primeiro deve se aceitar como compulsiva. Como a compulsão geralmente se dá em conjunto com a depressão e a ansiedade em muitos dos casos é necessário o uso de medicamentos. 

O tratamento se dá com o auxílio de psicólogos/psicoterapeutas e psiquiatras. Há também os casos em que o paciente se recupera somente com o acompanhamento da psicóloga, frequentando as sessões de psicoterapia cognitiva-comportamental. 

A família do paciente também deve passar por consultas e aconselhamentos visando evitar os gatilhos que levam seus parentes a compulsão. A oniomania é uma doença séria que muitas vezes demora ou nem chega a ser diagnosticada. 

Dicas para evitar as compras por impulso

Se o se caso não é considerado uma patologia o problema fica mais simples de se resolver. Existem inúmeras dicas que buscam ajudar as pessoas a evitar o consumo desenfreado e os gastos desnecessários. 

Aqui vão algumas das dicas mais importantes para quem quer parar de gastar por impulso e conseguir equilibrar finanças e gastos sem que um prejudique o outro:

  • Evitar comprar pela empolgação;
  • Evitar comprar produtos apenas porque estão na promoção ou com desconto; 
  • Pesquise e compare preços para realizar o melhor negócio, com mais custo benefício;
  • Liste os itens necessários na hora de ir às compras e só compre o que estiver na lista;
  • Adie a compra e pense a respeito da aquisição, adiar de um dia pro outro gera tempo para a reflexão;
  • Evite tentações e busque diferenciar vontade de necessidade;
  • Se questionar acerca da necessidade do produto, ajuda a evitar compras supérfluas.

Estas são apenas algumas das dicas que podem te ajudar a se prevenir e proteger suas finanças.

Unidades de amparo a compradores compulsivos

Caso a sua compulsão exija alguma espécie de tratamento, existem diversas instituições que buscam ajudar os compulsivos de plantão. Por exemplo a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), oferece o Programa de Atendimento a Compradores Patológicos.

O DA é o grupo de devedores anônimos que busca auxiliar as pessoas que estão em busca de tratamento para suas compulsões. O Hospital Federal de São Paulo oferece o Proad que busca ajudar assim como o Hospital das Clínicas. 

As pessoas afetadas pela oniomania podem procurar ajuda através do Ambulatório de Jogo Patológico e Outros Transtornos do Impulso (AMJO). 

Mais informações

Com base nas pesquisas desenvolvidas pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em conjunto com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), chegaram aos seguintes resultados:

  • 33,2% das compras por impulso acontecem em supermercados; 
  • 19,2% das compras por impulso são compras de produtos do segmento de vestuário;
  • 13,2% das compras por impulso são em aparelhos eletrônicos;

Os índices aumentam de acordo com as categorias, 46,4% das mulheres é considerada compradora compulsiva, assim como 51,2% dos jovens e 44,6% dos consumidores são membros das classes C,D e E.

Consumidores ouvidos nas pesquisas informam que muitos dos gastos foram gerados por ansiedade de obter os produtos imediatamente, ou para levar vantagem em cima de alguma promoção ou desconto. 

O importante é seguir as dicas e se manter atento quanto a necessidade da aquisição, não se deixar levar pela empolgação ou sensação de prazer gerada pelo sistema de recompensas.