De 5G a chip eletrônico, veja as tendências do maior evento mundial de telefonia móvel

BARCELONA – O Mobile World Congress, maior congresso de telefonia móvel do mundo, começa hoje em Barcelona mirando as novas gerações de celulares. 5G, telas dobráveis, inteligência artificial, biometria, comandos de voz e o fim do chip físico (e-sim) prometem ganhar espaço entre os lançamentos dos principais fabricantes de smartphones, processadores e de infraestrutura. As tendências fazem parte da análise feita pela consultoria ABI Research.A quinta geração de telefonia celular, que já é realidade em países como Estados Unidos e Coreia do Sul, estará no centro das atenções da maior parte das 2.400 empresas do setor de telecom que vão revelar até quinta-feira suas novidades para a temporada 2019. Huawei, Samsung, LG, Qualcomm e diversas operadoras estão lançando celulares e novas tecnologias que vão permitir maior velocidade na hora da conexão móvel, lista que inclui ainda objetos conectados e soluções para a indústria automotiva.

Quem chegará junto com o 5G disposto a roubar a cena serão os smartphones com telas dobráveis, que vão inaugurar nova categoria no mercado de celulares. Mas enquanto esses novos modelos não chegam ao mercado, os fabricantes aproveitam a temporada para ampliar os investimentos em processadores com inteligência artificial e no aprimoramento de comando de voz e reconhecimento de imagens através do aprendizado de máquina (o chamado machine learning) entre seus modelos mais básicos.

Confira as principais novidades em telefonia do primeiro dia do Mobile World Congress, em Barcelona

A Huawei lançou o Mate X, smartphone dobrável que chega a oito polegadas. O celular conta ainda com sistema de carregamento rápido | Bruno Rosa
O Mate X, o dobrável da chinesa Huawei. O aparelho tem conexão para tecnologia 5G | Bruno Rosa
A Sony lançou o seu novo modelo Xperia com tela oled 8k. Tem três câmeras na parte traseira, que conta com recursos de sua linha profissional de câmeras, a Alpha, e sistema de som que permite experiência de cinema | Bruno Rosa
O Xperia 1, da Sony, tem tela HDR OLED, que usa a tecnologia da TV Bravia. O aparelho também tem a capacidade de tirar fotos e gravar vídeos 4K, que atende às demandas tecnológicas de cineastas profissionais, tanto em imagem e som | Reuters
A Samsung apresentou pela primeira vez ao público o seu S10, lançado uma semana antes do MWC, que tem armazenamento interno de 1 TB. Hoje, os celulares mais potentes têm metade disso. Mostrou ainda seu novo dobrável | Bruno Rosa
A Nokia apresentou celular com cinco câmeras na parte traseira.Tem sensor em toda a tela. A câmera frontal tem resolução de 20 mega | Bruno Rosa
A Xiaomi tem câmera frontal retrátil que só aparece quando o usuário solicita. O objetivo é ganhar mais espaço na tela | Bruno Rosa
A Xiaomi colocou o sensor biométrico na parte traseira do aparelho. Tem ainda câmera frontal retrátil que só aparece quando o usuário solicita. O objetivo é ganhar mais espaço na tela
| Bruno Rosa
A LG trouxe celular com duas telas que operam de forma independente. Batizado de V50, o aparelho conta ainda com reconhecimento facial e leitor de veias para desbloqueio de tela | Bruno Rosa
A Oppo cobriu toda a tela com um sensor biométrico, permitindo que os usuários toquem em praticamente qualquer lugar do display para desbloquear o dispositivo. A Oppo trouxe zoom de dez vezes e resolução de 48 mega
| Bruno Rosa
O Galaxy Fold, o dobrável da Samsung | Bruno Rosa
Na tentativa de buscar atenção dos consumidores, os fabricantes lançaram seus novos celulares cheios de novidade

Assim, a ABI estima que o número de smartphones com inteligência artificial passarão dos atuais 60 milhões de unidades ao redor do mundo para cerca de um bilhão de telefones já em 2022. David McQueen, diretor de pesquisa da consultoria, explicou que o destaque é o uso desses processadores “inteligentes” nas câmeras dos celulares para permitir com maior facilidade a identificação de objetos e de reconhecimento facial. As tecnologias, destacou ele, permitem ainda melhor uso de comandos por voz e de gestos pelo celular.

– As empresas estão usando processadores específicos com inteligência artificial dedicados ao reconhecimento de imagens. Isso permite capturar com precisão a imagem e organizar os álbuns de fotos nos celulares, por exemplo. E, como há um processador dedicado somente a isso, a bateria do celular é preservada, aumentando seu tempo de uso – afirmou McQueen.

Veja as novidades em tecnologia do Mobile World Congress, em Barcelona

TOPSHOT – The Cloud Pepper robot by CloudMinds stands at the Mobile World Congress (MWC) in Barcelona on February 25, 2019. – Phone makers will focus on foldable screens and the introduction of blazing fast 5G wireless networks at the world’s biggest mobile fair starting February 25 in Spain as they try to reverse a decline in sales of smartphones. (Photo by GABRIEL BOUYS / AFP) | GABRIEL BOUYS / AFP
Sophie the Robot of Hanson Robotics is displayed at the Mobile World Congress (MWC) in Barcelona on February 25, 2019. – Phone makers will focus on foldable screens and the introduction of blazing fast 5G wireless networks at the world’s biggest mobile fair starting February 25 in Spain as they try to reverse a decline in sales of smartphones. (Photo by GABRIEL BOUYS / AFP) | GABRIEL BOUYS / AFP
A visitor plays virtual baseball with the Vive Pro Eye virtual reality headset at the Mobile World Congress (MWC) in Barcelona on February 25, 2019. – Phone makers will focus on foldable screens and the introduction of blazing fast 5G wireless networks at the world’s biggest mobile fair starting February 25 in Spain as they try to reverse a decline in sales of smartphones. (Photo by GABRIEL BOUYS / AFP) | GABRIEL BOUYS / AFP
TOPSHOT – A visitor tests the Nomu S50 Pro waterproof smartphone at the Mobile World Congress (MWC) in Barcelona on February 25, 2019. – Phone makers will focus on foldable screens and the introduction of blazing fast 5G wireless networks at the world’s biggest mobile fair starting February 25 in Spain as they try to reverse a decline in sales of smartphones. (Photo by GABRIEL BOUYS / AFP) | GABRIEL BOUYS / AFP
The new Sony Xperia1 is presented during the Mobile World Congress in Barcelona, Spain February 25, 2019. REUTERS/Rafael Marchante | RAFAEL MARCHANTE / REUTERS
A visitor tests a Xiaomi VR device inside its booth at the Mobile World Congress in Barcelona, Spain, February 25, 2019. REUTERS/Sergio Perez | SERGIO PEREZ / REUTERS
A BMW Vision iNEXT is displayed at the Mobile World Congress (MWC) in Barcelona on February 25, 2019. – Phone makers will focus on foldable screens and the introduction of blazing fast 5G wireless networks at the world’s biggest mobile fair starting February 25 in Spain as they try to reverse a decline in sales of smartphones. (Photo by GABRIEL BOUYS / AFP) | GABRIEL BOUYS / AFP
The CloudMinds XR-1 robot performs for the visitors at the Mobile World Congress in Barcelona, Spain February 25, 2019. REUTERS/Rafael Marchante | RAFAEL MARCHANTE / REUTERS
Samsung S10 5G devices are displayed inside its booth at the Mobile World Congress in Barcelona, Spain, February 25, 2019. REUTERS/Sergio Perez | SERGIO PEREZ / REUTERS
Visitors walk at the Mobile World Congress (MWC) in Barcelona on February 25, 2019. – Phone makers will focus on foldable screens and the introduction of blazing fast 5G wireless networks at the world’s biggest mobile fair starting February 25 in Spain as they try to reverse a decline in sales of smartphones. (Photo by GABRIEL BOUYS / AFP) | GABRIEL BOUYS / AFP
HTC founder and chief executive officer Cher Wang delivers a keynote speech at the Mobile World Congress (MWC) in Barcelona on February 25, 2019. – Phone makers will focus on foldable screens and the introduction of blazing fast 5G wireless networks at the world’s biggest mobile fair starting February 25 in Spain as they try to reverse a decline in sales of smartphones. (Photo by LLUIS GENE / AFP) | LLUIS GENE / AFP
Visitors walk past the Android stand at the Mobile World Congress (MWC) in Barcelona on February 25, 2019. – Phone makers will focus on foldable screens and the introduction of blazing fast 5G wireless networks at the world’s biggest mobile fair starting February 25 in Spain as they try to reverse a decline in sales of smartphones. (Photo by GABRIEL BOUYS / AFP) | GABRIEL BOUYS / AFP
Estande da ZTE, no MWC. Durante os quatro dias em que será realizado, o evento deve reunir mais de 100 mil visitantes e dois mil expositores | LLUIS GENE / AFP
TOPSHOT – Participants arrive to attend the first day of the Mobile World Congress (MWC) in Barcelona on February 25, 2019. – Phone makers will focus on foldable screens and the introduction of blazing fast 5G wireless networks at the world’s biggest mobile fair starting February 25 in Spain as they try to reverse a decline in sales of smartphones. (Photo by GABRIEL BOUYS / AFP) | GABRIEL BOUYS / AFP
Visitors attend the Mobile World Congress (MWC) in Barcelona on February 25, 2019. – Phone makers will focus on foldable screens and the introduction of blazing fast 5G wireless networks at the world’s biggest mobile fair starting February 25 in Spain as they try to reverse a decline in sales of smartphones. (Photo by Josep LAGO / AFP) | JOSEP LAGO / AFP
Feira reúne principais fabricantes de celulares do mundo para o lançamento de suas novidades tecnológicas

De acordo com estudo da Huawei, que será divulgado no evento, a previsão é que 90% dos usuários de celulares terão algum tipo de assistente pessoal, baseado em inteligência artificial, até a metade da próxima década. A empresa acredita ainda que a economia digital de gerar cerca de US$ 23 trilhões até 2025 com a ajuda da inteligência artificial, da internet das coisas e da computação na nuvem.

– O desafio da indústria, sobretudo as empresas de telefonia, é busca soluções para monetizar essas novas soluções. Você tem a realidade virtual e aumentada que pode gerar negócios em games, eventos e transmissões de esportes. Hoje, se olharmos a inteligência artificial, as empresas estão estudando como ganhar dinheiro com isso – disse Sandro Paiva, diretor para Desenvolvimento de Negócios da Huawei Brasil.

Chip ativado por aplicativo

Visitante testa programa de realidade virtual no Mobile World Congress, maior congresso de telefonia móvel do mundo, em Barcelona

Bruno Rosa

Em um mundo cada vez mais digitalizado, as operadoras também vão anunciar, prevê a ABI Research, o lançamento de chips eletrônicos nos celulares, o e-sim, que serão ativados através de um aplicativo. Com isso, o usuário não vai mais precisar abrir o celular e colocar o chip dentro do smartphone para ativar sua linha. A novidade começou com a Apple no ano passado, quando lançou sua nova família de iPhones. No Brasil, a Claro já oferece a novidade, mas apenas para os relógios inteligentes da Apple. – Vamos ver os celulares trabalhando de forma autônoma. A ideia é que o aparelho consiga sentir a imagem e o som. E com isso vai agir sozinho e aprender de forma autônoma, permitindo a criação de novos serviços. A ideia é gerar novas receitas para as empresas – destacou Geraldo Araujo, consultor sênior da Accenture.

*O repórter viajou à convite da Huawei

Powered by WPeMatico