ByteDance não concorda com venda do TikTok para Microsoft

ANÚNCIO

A ByteDance Ltd. precisa trabalhar horas extras se quiser manter o TikTok nos Estados Unidos.

O CEO, Zhang Yiming, disse em uma carta aos funcionários, depois que o governo dos EUA ameaçou proibir o aplicativo no país.

ANÚNCIO

Agora, a empresa enfrenta um prazo para fechar seu acordo com a Microsoft, de acordo com a Bloomberg.

Conforme confirmado no domingo, 2 de agosto, a Microsoft continua discutindo seu plano de aquisição do aplicativo popular da empresa com sede em Pequim, embora o presidente Donald Trump tenha dito que o proibiria no dia 1º de agosto.

A declaração foi feita após um diálogo entre Trump e CEO da Microsoft, Satya Nadella.

ANÚNCIO
ByteDance não concorda com venda do TikTok para Microsoft
(Créditos: Reuters/ Dado Ruvic)

O TikTok permanece em alerta, devido a preocupações com a coleta de dados da empresa e sua conexão com o governo chinês.

No entanto, a empresa chinesa tentou continuamente pacificar os reguladores, contratando o Walt Disney Co. Kevin Mayer como seu CEO, juntamente com outros milhares de funcionários nos EUA, além de desassociar suas operações domésticas do governo chinês.

O Tech Times informou anteriormente que o senador republicano, Lindsey, disse que o presidente Trump quer garantir que o Partido Comunista Chinês não tenha acesso aos dados privados, adquiridos pelo TikTok de usuários americanos.

Da mesma forma, o secretário de Estado, Mike Pompeo, disse que Trump proibirá outras empresas chinesas de software que estão enviando dados diretamente ao governo chinês.

Em 2019, o Comitê de Investimento Estrangeiro dos EUA (CFIUS) sondou aquisições de empresas no exterior em todo o país, particularmente a venda do Musical.ly à ByteDance em 2017 por US $ 1 bilhão.

Isso mais tarde resultou na criação do TikTok.

Enquanto isso, um relatório do Daily Mail disse que legisladores pediram ao presidente dos EUA que apoiasse o acordo entre a Microsoft e a TikTok.

A Microsoft disse em comunicado que, apesar dos problemas atuais que a TikTok está enfrentando, continuará as negociações de aquisição não apenas nos EUA, mas também na Austrália, Nova Zelândia e Canadá, para dar à gigante da tecnologia as operações nesses mercados.

“Nós não concordamos com a decisão”

Enquanto isso, o fundador e CEO da ByteDance, Yiming, disse em uma carta interna da empresa na segunda-feira, 3 de agosto, que eles não concordam com a decisão de vender as operações da TikTok nos EUA, porque sempre aderiram à proteção dos dados dos usuários e à manutenção da neutralidade.

“Ainda não chegamos a uma solução final”, disse Zhang.

ByteDance não concorda com venda do TikTok para Microsoft
(Créditos: Kon Karampelas/Unsplash)

O CEO também ficou consternado com o fato de a CFIUS ainda propor que a ByteDance tenha que vender a operação da TikTok nos EUA, apesar de enfatizar repetidamente que é uma empresa privada, e sua disposição de adotar soluções ainda mais técnicas para aliviar suas preocupações.

“Não concordamos com esta decisão”, escreveu Zhang. “Sempre protegemos firmemente a segurança dos dados dos usuários, a independência da plataforma e a transparência”.

Enquanto isso, o CEO escreveu que a empresa ainda está envolvida em discussões internas e nenhuma decisão final foi tomada, embora esteja em negociações com outra empresa de tecnologia.

Por outro lado, a Microsoft afirmou em um comunicado que valoriza as ações que o governo dos EUA tem adotado, para manter dados confidenciais do povo americano.

Traduzido e adaptado por equipe O Mapa da Mina.

Fontes: Tech Times e Daily Mail

ANÚNCIO