Desinfecção por drones limpará estádio de Atlanta entre os eventos

ANÚNCIO

O estádio Mercedes-Benz de Atlanta, casa do Atlanta Falcons e do Atlanta United FC, usará um par de drones para desinfetar assentos de torcedores e outras áreas após os próximos eventos.

Os drones de desinfecção D1 especialmente desenvolvidos são fornecidos pela Lucid Drone Technologies e usam bicos de pulverização eletrostática para distribuir os produtos químicos desinfetantes não tóxicos.

ANÚNCIO

Os drones vão estrear após o jogo em casa dos Falcons, em 11 de outubro, contra o Carolina Panthers.

O estádio afirma ser o primeiro estádio esportivo profissional a usar drones de limpeza e diz que eles reduzem o tempo necessário para limpar a área de assentos do estádio em 95 por cento, liberando a equipe para trabalhar em outro lugar.

Os drones também irão desinfetar os corrimãos e divisórias de vidro do estádio. Dois drones serão usados, com um terceiro para ser usado como backup, relata a ESPN.

ANÚNCIO

A reabertura durante a pandemia

Enquanto o mundo calculava como reabrir espaços públicos durante uma pandemia, soluções de limpeza remota como essas surgiram como uma forma de desinfecção eficiente de grandes áreas, ao mesmo tempo em que mantêm a equipe de limpeza socialmente distanciada uns dos outros.

Em maio, o aeroporto de Pittsburgh implementou um robô de limpeza UV, e robôs desinfetantes também foram implantados em uma zona de contenção em Chennai, Índia.

Mas um foco excessivo na desinfecção de superfícies foi criticado como “teatro da higiene” por alguns especialistas em um relatório recente no The Atlantic.

Isso porque, embora o CDC diga que a transmissão de superfície é “possível”, “não é considerada a principal forma de propagação do vírus”.

Em vez disso, a transmissão aérea é considerada um problema muito maior, tornando o distanciamento social e o uso de máscaras políticas mais importantes para reduzir a transmissão.

Fique por dentro: Paramédicos vestidos em terno a jato para resgates no Reino Unido; Como funciona?

Foto: (Mercedes-Benz Stadium)

Desinfetar áreas não é considerado diretamente prejudicial, mas o teatro da higiene corre o risco de criar uma falsa sensação de segurança, relata o The Atlantic. Em alguns casos, também pode sugar recursos de outras áreas.

Felizmente, parece que os drones desinfetantes não serão a única política de higiene em vigor no estádio Mercedes-Benz com 71.000 lugares.

A CNN relata que a capacidade será limitada, embora diga que não está claro exatamente quantos fãs terão permissão para comparecer, e também haverá 600 dispensadores de higienização de mãos ao redor do prédio.

Funcionários da AMBSE, empresa controladora do Atlanta Falcons, indicaram anteriormente que as coberturas faciais serão obrigatórias se os fãs retornarem aos jogos este ano, e que o estádio aplicará uma regra de distanciamento de seis pés entre os grupos sentados, relata a AJC.

Traduzido e adaptado por equipe O Mapa da Mina.

Fonte: The Verge

ANÚNCIO