Gmail permitirá que você edite documentos do Office diretamente de anexos do e-mail

O Google está tornando ainda mais fácil trabalhar com arquivos do Microsoft Office, com a empresa agora permitindo que os usuários editem diretamente arquivos do Office anexados no Gmail, da mesma forma que já permite com os arquivos do Google Docs ou Planilhas.

O Google Workplace (o G Suite recentemente renomeado, que inclui Google Docs, Planilhas, Apresentações, Meet e Agenda) oferece compatibilidade com arquivos do Office do Word, PowerPoint e Excel há algum tempo. 

Mas, anteriormente, os documentos tinham que ser importados para o Google Drive para editá-los ou modificá-los – enquanto os anexos por e-mail só podiam ser visualizados.

Gmail permitirá que você edite documentos do Office diretamente de anexos do e-mail
Foto: (Google)

O novo fluxo de trabalho, no entanto, agiliza esse processo consideravelmente. Agora, você pode abrir e editar diretamente um arquivo do Office usando o editor do Google Docs, apenas clicando nele – como faria em um Google Doc nativo. Mas a nova função de edição não converte arquivos do Office em Google Docs, em vez de preservar o formato do arquivo original.

O Gmail permitirá que os usuários respondam ao e-mail original e incluam o arquivo agora atualizado (ainda em formato de arquivo do Office) sem primeiro exigir que baixem e, em seguida, anexe novamente o arquivo atualizado.

Veja também: iOS 14.3 e WatchOS 7.2 obtêm novo algoritmo do Apple Watch ECG

Google está realmente tentando simplificar as coisas

O Google também está trabalhando para ajudar a garantir que os arquivos do Office funcionem com mais facilidade no Google Docs, com a empresa lançando um novo complemento do Macro Converter para o Google Workspace, projetado para ajudar usuários e organizações a importar macros do Excel para o Planilhas com mais facilidade.

Da mesma forma, o Google está trabalhando para adicionar melhor orientação de documentos e suporte de imagens ao Google Docs, permitindo documentos com páginas orientadas horizontal e verticalmente, junto com imagens colocadas atrás de texto e marcas d’água (embora os novos recursos de imagem não estejam disponíveis até o próximo ano).

Traduzido e adaptado por equipe O Mapa da Mina.

Fonte: The Verge