Intercâmbio – 7 dicas para viajar sozinho com segurança

O sonho de todo adolescente é sem dúvidas conhecer outros países, melhor ainda, quando isso é possível ainda quando está estudando no ensino médio ou superior, conciliando os estudos com um bom trabalho. Mas, as agências costumam cobrar bem caro com o intercâmbio.

No entanto, existe a opção de viajar sozinho, por conta própria, mas, para que isso ocorra, é necessário muita pesquisa, certeza e coragem, pois, está indo para um novo país, com novas culturas e novo idioma, então, é muito mais que uma viagem, mas, uma mudança de vida.

Pensando nisso, separamos algumas informações para esclarecer suas dúvidas e clarear sua mente sobre essa opção de ser um intercambista, leia com cuidado e absorva o máximo de informações possíveis! Estude essa possibilidade, mas, lembre-se: Segurança é tudo! Cuide do seu bem estar e da sua integridade física e mental nas suas escolhas.

intercâmbio
Foto (Reprodução da internet)

1# Faça um intercâmbio por conta própria

Se você não tiver dinheiro suficiente para pagar um intercâmbio, pense em uma viagem por conta própria, que às vezes sai mais em conta. Faça orçamento com agências de intercâmbio bem recomendadas e procure também opções independentes pra ver o que compensa mais pra você.

Pra quem não tem experiência em viagens, abrir mão do suporte de uma empresa especializada pode ser mais complicado. Mas se você tiver segurança, vale a pena pesquisar orçamentos direto com escolas nos possíveis países de destino.

ANÚNCIO

2# Escolha os destinos

Antes de focar em quanto custa um intercâmbio, você precisa saber claramente qual país chama a sua atenção para viver a  experiência do intercâmbio. Quer a vida de surfista da Austrália? Ou a poesia das ilhas  maltesas? O sonho de circular pela Big Apple?

Lançar-se em um intercâmbio na África do Sul com direito a Safari entre leões e girafas? Ou descobrir os 50 tons de verde e as belíssimas paisagens da Irlanda?

Vale reservar um tempinho para avaliar o que é importante para você, suas motivações e o que você pretende usufruir durante a sua viagem de estudos.

Nova York

A cidade nunca para e é ideal para quem busca uma experiência vivendo em um lugar cosmopolita e repleto de arte e cultura.

Estudos: Para estudar por 18 horas na cidade por um mês na escola ILSC, você irá desembolsar R$ 1.170. Se realizar o mesmo curso por 12 semanas, o valor fica em R$ 3.370. Para 6 meses de curso com 22 horas por semana, espere pagar R$ 7.120.

Quanto à moradia, é bom ter em conta que Nova York pode ser uma cidade bastante cara, principalmente para quem viaja com orçamento em reais. Espere gastar entre US$ 1.400 e US$ 3.000 pelo aluguel de um apartamento de 1 quarto na cidade. O passe mensal de transporte público também não é barato: sai por US$ 108.

Intercâmbio
Foto (Reprodução da internet)

Miami

Estudar em Miami pode ser ainda mais caro do que em Nova York. Um curso de 6 meses na cidade com a escola EC, com 24 horas de aulas por semana, sai por R$ 22.470. Para um curso de 12 semanas estudando 20 horas semanais, os valores ficam em R$ 10.520, enquanto o mesmo curso com duração de um mês tem um custo de R$ 3.715.

Apesar do estudo ser mais caro, a cidade oferece opções de moradia mais em conta, com preços que variam entre US$ 1.000 e US$ 2.000 para um apartamento de um quarto. Um passe mensal de transporte custa em média US$ 100.

3# Faça um teste de férias

Essa opção se enquadra bem para aqueles com uma vida muito ocupada ou que dispõem apenas do período das férias. Pessoas que já tenham família ou, mesmo, os que estão presos a um trabalho que não lhes permite o afastamento por muito tempo.

Se você se vê em um desses casos, poderia pensar num curso de quatro semanas (um mês).  Claro que, nesse caso, ter um nível de inglês relativamente bom é recomendável, e o período de férias x curso de inglês seria apenas para dar aquele upgrade e ampliar a confiança no segundo idioma.

É um pacote para aqueles que costumam tirar férias no exterior, mas que pretendem, além de conhecer novas culturas, aproveitar para praticar o idioma e interagir mais efetivamente com os locais. Seja qual for a limitação de tempo, sim, você pode fazer um intensivo de um mês no país de sua escolha. As opções e valores você confere logo abaixo.

4# Passagens aéreas

O destino do seu intercâmbio é uma variável que pode influenciar muito no valor que você vai gastar nessa experiência, afinal existe locais com passagens mais baratas que outras.

intercâmbio
Foto (Reprodução da internet)

5# Curso, acomodação e seguro saúde

Não vá achando que é somente comprar as passagens do intercâmbio, pagar o curso ou ter dinheiro para comida! Você precisará pagar a moradia, pensar nos imprevistos, como, doenças ou acidentes, portanto, ter dinheiro para o médico. Na alimentação extra caso precise fazer aulas fora e outras situações que devem ser analisadas com muito zelo.

6# Tenha objetivos

Existem várias formas de viajar sozinho para o intercâmbio gastando relativamente pouco, mas tudo depende do seu objetivo. Não se desespere! Pesquise, se informe e você provavelmente vai encontrar uma opção que corresponde às suas expectativas, o que torna o investimento muito mais válido.

Seu foco é ter uma experiência no exterior? Aprimorar um idioma com fins profissionais, ou por prazer? Dar um upgrade no currículo? Diferentes tipos de intercâmbio podem atender melhor a cada objetivo desses.

7# Procure uma bolsa de estudos

Seja bolsista e faça o intercâmbio gratuitamente!  Procurar uma bolsa de estudos que lhe interesse e para o qual você esteja apto a se candidatar e fazer todo o processo de inscrição, costuma dar trabalho, contudo, é mais possível do que muita gente pensa.

Se prepare o quanto antes, estude o idioma e faça outras atividades que podem transformá-lo num candidato interessante para uma bolsa.

ANÚNCIO