3 ERROS que Warren Buffett diz para NÃO cometer | Mas que vc comete mesmo assim…

https://www.youtube.com/watch?v=KITqjqGuhjA

O Buffett até avisa, mas a gente… Redes Sociais: BLOG – http://oprimorico.com.br YOUTUBE (inscrever-se) – http://bit.ly/1S6WMoM FACEBOOK (curtir página) – https://www.facebook.com/oprimorico TWITTER: https://twitter.com/thiagonigro INSTAGRAM: https://www.instagram.com/thiago.nigro/ PODCAST: https://soundcloud.com/thiagonigro Bora começar logo: As taxas sempre importam Um dos grandes alertas que o Warren Buffett sempre fez é em relação aos custos dos investimentos. Todo investidor precisa manter sempre o menor custo possível para os investimentos que ele faz. Até se você quer rendimento com trading. Aí você pode até pensar “mas pô primo, em corretora a taxa é zero, eu já estou seguindo corretamente o que ele fala”. Ai eu te digo… Sim. E também não. Porque apesar de na renda fixa muitas pessoas seguirem isso direitinho, até porque as corretoras facilitam bastante, é na renda variável que o problema acontece. Aí você pode até pensar que essas taxas ou não são lá grande coisa quando pequenas, ou que são taxas até que justas quando o fundo vai bem. Mas temos que considerar duas coisas: Primeiro: Nem sempre o fundo é realmente justo com elas. O exemplo classico é na taxa de performance em fundo multimercado. Segundo, e a principal: Fundo de ações nunca tem performance sempre positiva. Mas a taxa sempre está lá. Taxa não ganha de tempo Não há hora melhor de falar desse alerta do Buffett como agora. Até porque a taxa Selic caiu de novo, e mais uma vez, como pela décima segunda vez, muita gente está preocupada se, por causa dessa queda, ainda vale a pena ou não investir no Tesouro Selic. Mas pra ilustrar esse exemplo vou dar um exemplo na renda fixa e um na bolsa de valores: Começo com o da Renda Fixa porque é o mais fácil de entender. Vamos imaginar aqui um cenário: Você quer investir para ter a sua aposentadoria lá em 2045. Para a sua felicidade, há o Tesouro IPCA que tem vencimento justamente em 2045. Mas você tem um problema: O Tesouro IPCA está pagando IPCA + 5,18%, enquanto que existe um CDB que está pagando IPCA + 5,30% para 3 anos. Muita gente escolhe o CDB porque, logicamente, o CDB rende mais. Mas ai começa o teu problema: enquanto que no Tesouro IPCA você carrega o investimento até o final e só paga o IR em 2045, no CDB você paga o IR sempre a cada 3 anos. No final, se você for reinvestindo no CDB de 3 em 3 anos até 2045 enquanto que no Tesouro você pagaria IR só uma vez, no CDB você pagaria 9 vezes o IR, e isso aqui iria comer muito dos juros que você ganharia por meio dos juros compostos. Ou seja: no final, é bem capaz que você fique com menos dinheiro porque, olha só, escolheu taxa ao invés de tempo. E na renda variável, não há melhor exemplo do que a famosa aposta de 1 milhão de dólares do Warren Buffett: Basicamente, ele apostou que em 10 anos nenhum fundo de hedge, que são fundos ativos em seus investimentos, iria superar um fundo passivo, que basicamente seria um fundo indexado ao S&P. Esses fundos, por serem mais ativos, poderiam apresentar altas de 20%, 30%, já que são propriamente fundos mais ativos, enquanto o fundo indexado no S&P não seguiria as mesmas possibilidades. E no que a aposta deu? Bom, deu em vitória do Buffett. O fundo que o Buffett escolheu rendeu cerca de 7% a.a., enquanto os outros fundos não chegaram nem a 3%. Tudo isso porque a gestão ativa teve um preço no longo prazo. Diversificar pode ser um erro O grande problema aqui é que nós acabamos caindo na armadilha da pulverização. E o que é isso? Simplesmente quando o investidor foca muito em diversificar que ele simplesmente não percebe que assim ele está pulverizando o seu capital e perdendo dinheiro. E não existe melhor exemplo que isso que não seja a bolsa de valores, que é um dos lugares para investir que mais nós vemos risco. O lance é que quando a gente vai escolher uma ação, nós precisamos ir com a ideia de se tornar sócio da empresa. Isso significa que nós temos que entender a empresa, entender qual o potencial dela enquanto negócio, e decidir acreditar ou não no negócio dela para investir e ser sócio pro longo prazo. E tudo bem investir em mais de uma empresa com essa ideia em mente: o problema é quando o investidor fica tão focado em fugir do risco que acaba OU investindo em empresas que tem um potencial menor do que as principais da sua carteira de investimento, ou ainda pior: escolhe empresas ruins só porque, assim, ele diminui o seu risco. Então, primos, TENHAM CUIDADO. Diversificar faz sentido? Faz. Mas pulverizar seu capital em 200 bilhões de investimento pra reduzir o seu risco não faz. A minha dica aqui é simplesmente você deixar sua carteira simples. Invista em poucas empresas mas empresas das quais você confia, e assim vá monitorando elas pra perceber quando fará sentido ou não continuar nelas. E DICA ADICIONAL: Não tome a decisão de sair da empresa só por causa do preço. Investir a longo prazo, na maioria das vezes, você ignora preço.