Como os mega-ricos do mundo estão se protegendo do COVID-19

ANÚNCIO

A crise do coronavírus continua a manter o mundo refém, com fechamentos de fronteiras, restrições de viagens, bloqueios e pedidos de auto-isolamento sendo implementados em uma tentativa de diminuir a propagação. Mas parece que o vírus não está afetando todos nós igualmente.

Um artigo da Vanity Fair afirma que os ricos são menos afetados pela pandemia, organizando festas, viajando em jatos particulares, gastando tempo em iates de luxo e adquirindo cidadania em países “seguros” como a Nova Zelândia.

ANÚNCIO

A Nova Zelândia passou mais de 100 dias livre do coronavírus antes que um novo surto fosse detectado em meados de agosto.

A publicação apontou para o comportamento de Travis Kalanick, um dos fundadores do Uber, que tem dado festas ao ar livre em sua propriedade em Los Angeles, nos Estados Unidos, mesmo durante o pico da pandemia.

Como os mega-ricos do mundo estão se protegendo do COVID-19
(Créditos: AP/AAP)

O artigo afirma que esses milionários e bilionários adquiriram kits de teste COVID-19 avançados, que produzem resultados em apenas 15 minutos, administrados por uma enfermeira registrada contratada, para garantir que eles não contraiam o vírus.

ANÚNCIO

David Geffen, que é um magnata dos negócios da América, produtor, executivo de estúdio de cinema e filantropo, teria passado a maior parte do ano em seu iate, ficando bem longe de epidemias.

Geffen foi criticado por compartilhar várias postagens de suas aventuras em seu iate no Instagram durante a pandemia, incluindo uma foto ao pôr do sol com a legenda: “Pôr do sol na noite passada … isolado nas Granadinas evitando o vírus. Espero que todos permaneçam seguro.”

Esta postagem foi rapidamente compartilhada no Twitter por uma conta chamada NCYSouthPaw que disse: “Obrigado, David Geffen, por seus comentários.”

Outros super-ricos “curtindo” a quarentena

Mark Zuckerberg do Facebook está supostamente no Havaí, e foi flagrado usando uma prancha de surfe em águas cristalinas.

Jeff Bezos, da Amazon, fez questão de manter seu jato particular e comprou milhões de dólares em propriedades em LA, para construir um complexo para ele e seus entes queridos.

Michael Bloomberg, um empresário e político americano, também comprou um composto de US $ 45 milhões no Colorado, nos EUA.

Como os mega-ricos do mundo estão se protegendo do COVID-19
(Créditos: AP/AAP)

O congressista da República Matt Gaetz, da Flórida, foi imediatamente testado para o coronavírus após ser exposto a uma pessoa que pode ter sido portadora, de acordo com um artigo na Forbes.

O bilionário Kenneth Langone, cofundador da rede Home Depot, tem conexões para suas próprias necessidades de saúde. Langone tem um hospital com o seu nome (NYU Langone Health) e pode contatar livremente os melhores profissionais da área médica e científica.

O número de mortos na cidade de Nova York tornou o epicentro da pandemia nos Estados Unidos, com Andrew Cuomo, governador de Nova York, dizendo que “há um nível de densidade em Nova York que é destrutivo”.

Não é apenas a superpopulação dessas áreas que está contribuindo para a disseminação da doença, mas também os bairros mais pobres sendo os mais afetados, devido à menor oportunidade de implementar medidas para se manterem seguros.

Os casos em Nova York e Milwaukee nos EUA têm sido altos, assim como em Birmingham no Reino Unido, Mumbai na Índia e Nairobi no Quênia.

Não apenas as pessoas mais pobres têm maior probabilidade de encontrar a doença, mas também a classe trabalhadora, que perdeu seus empregos e teve acesso a medidas de bem-estar para sobreviver e alimentar suas famílias durante a pandemia.

Traduzido e adaptado por equipe O Mapa da Mina.

Fonte: Honey Nine, Forbes e Vanity Fair

ANÚNCIO